sábado, 19 de novembro de 2016

Manual de Trovas (4a. Parte) Módulo 3


MÓDULO 03

METRIFICAÇÃO

1.      Definição de metro poético

Metro é a medida do verso, O estudo do metro chama-se metrificação.
As silabas métricas ou poéticas, diferem das sílabas gramaticais.

Contam-se as sílabas até a sílaba tônica da última palavra de um verso.

Oferecemos a seguir um extrato do Decálogo de Metrificação de autoria de Luiz Otávio. Para organizar este precioso trabalho, na década de setenta, Luiz Otávio contou com a colaboração de inúmeros trovadores de várias seções da UBT e também de Portugal.

Neste extrato, não se omitiu nem se acrescentou qualquer informação, Procuramos apenas rearrumar os exemplos de cada regra para uma visualização imediata de cada item tratado (no originai, as trovas demonstrativas estão agrupadas no final). Da mesma forma, procuramos evitar certos termos técnicos, substituindo-os por equivalentes mais simples sugeridos pelo próprio Glossário apenso ao Decálogo original.
(Renato Alves)

1º. As silabas são contadas até a última tônica do verso.

Po | de | rá  | a | for | çae | | trica*
deum | sá | bio | com | pu | ta | dor |
en | si | nar | com |ta | gem | me | trica
mas | não | faz | um | tro |va | dor|

* o a de"Poderá" e o artigo "a", apesar do Elucidário Métrico dizer que se unem, conforme o ítem 5 deste manual, indiferentemente, poderão ser separados ou unidos.

 2° - As pontuações não impedem as junções de sílabas.

Pen | saem | cal | ma:E |vi | taer | rar |
Injusto é se nos reprovas...
- Pois não queremos mudar
o modo de fazer trovas...

3° - Não se deve fazer o aumento de uma sílaba nos encontros consonantais disjuntos (Ex: lg-no-ro e não: l-gui-no-ro; ad-vo-gado e não: a-de-vo-ga-do)

Você pode acreditar
ter | a | pu | Ra | con | vic | ção |
que a ninguém vou obrigar
a ter a minha opinião.

 4º - Uma vogal átona faz junção com a vogal inicial (átona ou tônica) da palavra seguinte.

Podes crer que és muito injusto
e estás longe da verdade:
pois na trova, a todo o custo
defendo a espontaneidade...

Parágrafo único - Aceita-se exceções a esta regra no sentido de evitar a formação de sons duros e desagradáveis.

Exemplo: "cu | ja | ven | tu | ra | ú | ni | ca | con| sis |te"

5° - Uma vogal tônica pode ou não fazer junção com a vogal átona inicial da palavra seguinte. No entanto, não se pode juntar vogal tônica com outra tônica.

É uma história bem correta:
em tudo o ensino é preciso,
no entanto, só | o poeta
quer ser gênio de improviso.

Par. único - No caso de juntarem-se tônica + átona, deve-se evitar sons desagradáveis:
"Vi | a moça" e não: "Viamoça"

6º - Pode haver a junção de três vogais numa sílaba métrica

Es | taéu | ma | Tro | vain | dis | cre | ta
convenções, mal amparadas,
induzem muito poeta
a convicções enraizadas.

Obs:  1 - Não deve haver mais de uma vogal tônica (no encontro);
         2 - Se a tônica não estiver entre as duas átonas, para que seja correta a junção, as duas átonas devem juntar-se por crase (fusão) ou elisão (supressão) e não por ditongação.

Por exemplo:
é certo: "| éaam | bi l ção",
mas errado: "|e a | ín | ti | ma palavra"

        3 - Deve ser usada com cuidado a junção de mais de três vogais, embora haja casos corretos de quatro e até cinco vogais,

7º - O ditongos aceitam a junção com uma vogal anterior átona.

Ex:"Eeu"
Para medir nossos versos,
se o ouvido fosse o juiz,
em nossos "metros" diversos
ninguém poria o nariz...

Junções com vogais átonas posteriores são aceitas somente nos ditongos crescentes:

"Dis |tân | cia in | fi | ni | ta", e são repelidas nos ditongos decrescentes:"Eu | sou | a | que | no | mun | do..."

8° - Em alguns hiatos (quando a 2ª. vogal é tônica), é facultativa a contagem em uma só sílaba (sinérese).

Ex: "ci | ú | me ou c| me"; "po | e | ta ou poe | ta"
 
Na | Tro | va | so | ne | toou | poe | ma, *
em | to | daa | par | te | do | mun | do,
se a | For | ma é o | seu | di | a | de | ma, *
a | su | aal | mãe | sem | preo | Fun | do!

*Obs: Nesta trova foram usadas as duas contagens (poe-ma e di-a-dema). No entanto, isto foi feito apenas como exemplo pois não se pode usar duas contagens diferentes na mesma trova!

Par. Único - Alguns hiatos deste tipo (a + a-e-o tônicas; a + i-u tônicas) NÃO aceitam a sinérese.
Ex: Sa | a | ra ; a | é | reo ; a | or | ta ; pa | ra | i | so ; ba | ú
       
9° - Nos hiatos em que a 1ª. vogal é tônica, NÃO se pode contar o encontro como uma só sílaba. Ex: tu | a ;  lu | a ; fri | o ; ri | o

As dúvidas são pequenas.
não sejas tão pessimista,
dá- | mea | tu | aa | ju | da,a | pe | nas,
e será bela a conquista.

Par. Único - Em alguns estados há sinérese na pronúncia (friu, tiu); no entanto, ela não será aceita na metrificação.

10º - É facultativa a supressão de sílabas no início de certas palavras (ainda>inda, para>pra, muito>mui, com a > co'a)
 
É mui(to) feio criticar,               (apócope)
(A)inda que seja um direito        (aférese)
p(a)ra ser justo, aulas vem dar   (sincope)
co(m)o teu plano sem defeito... (ectlipse)

Par.1º: A junção de "com” mais palavra iniciada por vogal átona é correta, mas pouco usada e deve ser evitada. Ex: "com | amor".

Par. 2º: A junção de "com" mais palavra iniciada por vogal tônica não será aceita. Ex: "com | esta".

Par. 3°: A junção de fonemas anasalados "am", "em", "im" etc com qualquer vogal não será aceita.  Ex: "formaram | ideias"; "cantaram | hinos"

Par. 4º: É preciso cuidado com as aféreses, sincopes e apócopes (supressão de fonemas) que, por estarem em desuso ou por formarem, geralmente, sons desagradáveis, irão ferir a sensibilidade dos leitores e ouvintes.
(Santos, 1975)

                            :=:===== O =====:=:
                     
Frase mnemônica para decorar as dez regras de metrificação:
"Tendo paciência e Estudo você versejará tecnicamente direito encontrando estética e lirismo."
(T=tônica; p=pontuação; e = encontros consonantais; v = vogal fraca; V = vogal forte; t = três vogais; d = ditongos; e = encontros vocálicos ascendentes; e = encontros vocálicos descendentes; l = licenças poéticas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário